217 913 700
Dias úteis: 9:00 - 18:00
EN
EN
  • COSEC >
  • Notícias >
  • Super-heróis, ajudantes e vilões: quem é quem na economia mundial este ano

Super-heróis, ajudantes e vilões: quem é quem na economia mundial este ano

  • Em 2017, o crescimento global do PIB chegará aos 2,8%
  • Crescimento mantém-se abaixo dos 3% pelo sétimo ano consecutivo
Lisboa, 26 de janeiro de 2017 – Em 2017, a economia mundial deverá crescer 2,8%, diz o mais recente relatório de análise económica da COSEC, líder nacional em seguro de créditos, baseada em dados do seu acionista Euler Hermes, líder mundial do setor. A concretização das promessas eleitorais de Donald Trump, que tomou posse no dia 20 como o 45º Presidente dos Estados Unidos, será um dos fatores mais determinantes para este resultado.
Este ano, pela sétima vez consecutiva, o crescimento mundial deverá ficar abaixo dos 3%. Contudo, embora não tendo nada de “super”, a economia global também já esteve mais longe da ficção. O estudo Superheroes, sidekicks and villains: the guardians of the economy mostra que, se a economia mundial se tratasse de um enredo de banda desenhada, os EUA podiam ser o Capitão América; a Zona Euro, o Homem-Aranha; a China, o Iron Man; e os grupos dos países emergentes o Quarteto Fantástico.
O crescimento esperado dever-se-á em grande parte aos EUA, à saída da Rússia e do Brasil da recessão, e à resiliência na Europa e na Ásia. E tudo dependerá dos superpoderes usados por cada herói, contra os obstáculos criados pelos vilões, e perante fenómenos económicos como o Wolverine dos preços, e o cessar do efeito Magneto nos fluxos financeiros.
Saiba mais no comunicado de imprensa em anexo.

Super-heróis, ajudantes e vilões: quem é quem na economia mundial este ano

  • Em 2017, o crescimento global do PIB chegará aos 2,8%
  • Crescimento mantém-se abaixo dos 3% pelo sétimo ano consecutivo
Lisboa, 26 de janeiro de 2017 – Em 2017, a economia mundial deverá crescer 2,8%, diz o mais recente relatório de análise económica da COSEC, líder nacional em seguro de créditos, baseada em dados do seu acionista Euler Hermes, líder mundial do setor. A concretização das promessas eleitorais de Donald Trump, que tomou posse no dia 20 como o 45º Presidente dos Estados Unidos, será um dos fatores mais determinantes para este resultado.
Este ano, pela sétima vez consecutiva, o crescimento mundial deverá ficar abaixo dos 3%. Contudo, embora não tendo nada de “super”, a economia global também já esteve mais longe da ficção. O estudo Superheroes, sidekicks and villains: the guardians of the economy mostra que, se a economia mundial se tratasse de um enredo de banda desenhada, os EUA podiam ser o Capitão América; a Zona Euro, o Homem-Aranha; a China, o Iron Man; e os grupos dos países emergentes o Quarteto Fantástico.
O crescimento esperado dever-se-á em grande parte aos EUA, à saída da Rússia e do Brasil da recessão, e à resiliência na Europa e na Ásia. E tudo dependerá dos superpoderes usados por cada herói, contra os obstáculos criados pelos vilões, e perante fenómenos económicos como o Wolverine dos preços, e o cessar do efeito Magneto nos fluxos financeiros.
Saiba mais no comunicado de imprensa em anexo.