211 164 221
Dias úteis: 9:00 - 18:00
EN
portugal
  • COSEC >
  • Notícias >
  • Quem ganha e quem perde em 2020 no comércio internacional após perdas de quase €400 mil milhões em 2019

Quem ganha e quem perde em 2020 no comércio internacional após perdas de quase €400 mil milhões em 2019

Lisboa, 30 de dezembro de 2019 – O comércio mundial de bens e serviços pode ter registado o crescimento mais lento da última década em 2019 (1,5%), representando perdas superiores a €378 mil milhões para as empresas exportadoras, estima a Euler Hermes, líder mundial em seguro de créditos e acionista da COSEC – Companhia de Seguro de Créditos.

De acordo com o estudo Trade Wars: May the Trade Force be with you, a China, a Alemanha e Hong Kong são as economias mais afetadas por esta recessão, perdendo, respetivamente, €60, €56 e €45 mil milhões. Entre os setores que mais sofreram estão o da Eletrónica, o dos Metais e o da Energia, com perdas de €191, €167 e €165 mil milhões, respetivamente.

A seguradora de créditos prevê uma ligeira melhoria deste cenário no próximo ano: embora estime que o ritmo de crescimento das trocas globais se mantenha baixo em 2020, prevê que este se situe dois pontos percentuais acima do registado em 2019 (1,7%, contra 1,5%). Estes números são reflexo do abrandamento da economia mundial (2,4% em 2020, contra 2,5% em 2019), bem como da manutenção do sentimento de elevada incerteza económica e política, a par da subida das tarifas globais.

Saiba mais no comunicado » 

 

Quem ganha e quem perde em 2020 no comércio internacional após perdas de quase €400 mil milhões em 2019

Lisboa, 30 de dezembro de 2019 – O comércio mundial de bens e serviços pode ter registado o crescimento mais lento da última década em 2019 (1,5%), representando perdas superiores a €378 mil milhões para as empresas exportadoras, estima a Euler Hermes, líder mundial em seguro de créditos e acionista da COSEC – Companhia de Seguro de Créditos.

De acordo com o estudo Trade Wars: May the Trade Force be with you, a China, a Alemanha e Hong Kong são as economias mais afetadas por esta recessão, perdendo, respetivamente, €60, €56 e €45 mil milhões. Entre os setores que mais sofreram estão o da Eletrónica, o dos Metais e o da Energia, com perdas de €191, €167 e €165 mil milhões, respetivamente.

A seguradora de créditos prevê uma ligeira melhoria deste cenário no próximo ano: embora estime que o ritmo de crescimento das trocas globais se mantenha baixo em 2020, prevê que este se situe dois pontos percentuais acima do registado em 2019 (1,7%, contra 1,5%). Estes números são reflexo do abrandamento da economia mundial (2,4% em 2020, contra 2,5% em 2019), bem como da manutenção do sentimento de elevada incerteza económica e política, a par da subida das tarifas globais.

Saiba mais no comunicado »